Conheça a Cesta Camponesa e a Cesta da Agricultura Familiar

Boletim sobre Sistemas Populares de Abastecimento Alimentar(*)

O Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) é um  movimento camponês, de caráter nacional e popular, de massas, autônomo, de luta permanente, cuja base social é organizada em grupos de famílias nas comunidades camponesas. O MPA busca resgatar a identidade e a cultura camponesa, na sua diversidade, e se coloca ao lado de outros movimentos populares do campo e da cidade  para a construção de um projeto popular para o Brasil baseado na soberania e pelos valores de uma sociedade justa e fraterna.

A fim de amenizar os efeitos causados pela pandemia do novo coronavírus, o MPA realizou uma campanha nacional chamada ‘’Mutirão Contra a Fome’’ que tem como objetivo central arrecadar e distribuir alimentos agroecológicos para famílias em situação vulnerável socialmente e economicamente, e também para a população de rua. Uma das formas de organização da campanha é a formação de Comitês Populares de Abastecimento que incentivam a participação das organizações do campo e da cidade, além de fortalecer a organização do povo. Esses comitês são formados por um conjunto de militantes e ativistas que preparam a distribuição em territórios determinados e consolidam o vínculo e a unidade entre as organizações, além de fortalecerem uma instância de encontros, debates e aproximações.

Além disso, o sistema de Cestas Camponesas foi intensificado pela campanha nacional para incentivar a produção e consumo de alimentos derivados do campesinato: “#FiqueEmCasa, seguiremos produzindo seus alimentos!”. Para adquirir a cesta basta fazer um cadastro no site do projeto, onde o consumidor pode escolher o núcleo mais próximo do seu bairro e selecionar os alimentos que deseja. O pedido é organizado semanalmente pelos militantes do MPA-RJ que fazem uma ponte entre os cestantes e os camponeses, e as cestas são entregues em praças públicas localizadas em vários bairros da região metropolitana da cidade do Rio. A agricultura camponesa familiar garante 70% dos alimentos que chegam em nossas mesas, por isso, durante a pandemia o campo continua produzindo para que não falte comida de qualidade para a população.

Na Baixada Fluminense, um projeto de extensão universitária construiu caminhos para famílias agricultoras venderem os alimentos produzidos durante a quarentena. Após duas semanas de estudos, a equipe da Feira da Agricultura Familiar (FAF – UFRRJ) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro desenvolveu um site para viabilizar a comercialização dos produtos. Os pedidos das Cestas da Agricultura Familiar são feitos toda semana, durante segunda e quarta-feira, e retirados nas quartas-feiras seguintes. Nesse intervalo de sete dias, os agricultores e agricultoras trabalham na roça para colher os produtos, organizar e montar as cestas.

A nova logística é diferente da que fazia a Feira funcionar, uma vez por semana, no prédio principal da UFRRJ. Antes, as famílias vendiam os produtos que tinham no campo. Agora, a oferta dos produtos precisa ser fixa, já que toda semana uma lista de verduras, legumes e frutas é disponibilizada para venda. A equipe técnica realizou um levantamento dos produtos que cada família possui, distribuiu mudas e apostou na diversificação da produção. A ajuda dos especialistas impulsionou o trabalho dos homens e mulheres no campo, que ganharam segurança para atravessar o momento de crise.

Os resultados do trabalho superaram as expectativas: só na primeira semana, foram montadas e vendidas 49 cestas, 29 a mais que o planejado. Na visão das professoras Anelise Dias e Nídia Majerowicz, que coordenam o Programa de Extensão, o projeto fortaleceu os laços entre a equipe e os agricultores valorizando o papel do trabalho conjunto para que os alimentos cheguem aos consumidores. “Mostramos unidade na ação, cada um contribuindo de acordo com as suas iniciativas e trabalho. Mostramos o potencial da Agricultura Familiar na saúde e na segurança alimentar da população. Ampliar a produção local é fundamental”, conta Nídia.

Neste mês de maio a equipe da cesta estabeleceu uma parceria com a Rede IntegrAÇÃO, que distribui cestas básicas para cerca de 100 famílias de Seropédica. Através do site de compras, consumidores da cesta podem fazer uma contribuição para um fundo que vai destinar recursos para compra de alimentos dos agricultores para fortalecer as cestas básicas com frutas, verduras e legumes frescos e produzidos localmente.

Informações para compra dos produtos:

 

Cesta Camponesa

 www.cestacamponesa.com.br

É um trabalho feito pelo movimento camponês, que conecta a agroecologia camponesa com os consumidores da cidade, em um Sistema de Abastecimento Popular de Alimentos. Os produtos da cesta são agroecológicos, produzidos pelas famílias camponesas.

Como acessar? Entre no site  e se cadastre.

Como comprar? Você escolhe os produtos dentre os disponíveis para cada ciclo. O pedido mínimo é de R$ 60,00. A entrega tem uma taxa que varia entre R$10,00 e R$ 15,00.

As entregas da Cesta Camponesa ocorreram em aproximadamente 40 bairros do Rio de Janeiro , entre eles: Mangueira, Benfica, Engenho Novo, Lins, Méier, Del Castilho, Bonsucesso, Ramos, Olaria, Vila da Penha, Irajá, Botafogo, Cachambi, Engenho Novo, Catete, Centro, Bairro de Fátima, Lapa, Copacabana, Leme, Flamengo, Glória, Grajaú, Humaitá, Jardim Botânico, Gávea, Leblon, Ipanema, Lagoa, Santa Teresa, Tijuca, Usina e Alto da Boa Vista. Em Niterói as cestas são entregues nos bairros de Icaraí, Itaipu, Pendotiba, Engenho do Mato e Santa Rosa.

Facebook e Instagram: @cestacamponesa

 

Cesta da Agricultura Familiar

www.fafrural.com.br

 

Clique no link a seguir para fazer download do documento em PDF: Boletim #1

 

(*) O boletim é uma publicação semanal da iniciativa Comunicação e Alimentação desenvolvida pelo projeto de extensão Comunicação e Conscientização durante a pandemia de Covid-19. 


Postado em 29/05/2020 - 09:31
Skip to content