Ventilador de exceção para Covid-19 é testado em laboratório do Instituto de Veterinária da UFRRJ

Equipamento desenvolvido pela Coppe/UFRJ apresenta resultados promissores em estudos com animais

 

Fachada do Instituto de Veterinária da UFRRJ | Imagem: @momentoslugareseodrone

Na semana em que o Brasil se torna o país que contabiliza mais óbitos por dia devido a Covid-19, pesquisadores lutam contra o tempo nas universidades públicas em busca de soluções para conter o avanço do número de mortes causadas pela pandemia. Além da competência técnico-científica e da dedicação em tempo integral, a esperança impregna o dia a dia dos que trabalham para salvar vidas.

De acordo com o professor da UFRRJ Fabio Barbour Scott, que coordenou os testes em suínos realizados por 12 dias na instituição, era perceptível a emoção nos olhos de cada um dos envolvidos. “É um sentimento difícil de ser descrito em palavras, mas tenho a certeza que todos, inclusive eu, terminamos a semana com a sensação de termos concluído uma missão muito importante”.

Missão que fora dada pelos pesquisadores do Programa de Engenharia Biomédica do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ) que, em parceria com inúmeros colaboradores, desenvolvem o Projeto Ventilador de Exceção para Covid-19 – UFRJ (VExCo) para suprir a demanda urgente por estes equipamentos devido a pandemia.

Ventilador de Exceção para Covid-19 | Imagem: Divulgação Coppe/UFRJ

“O projeto da Coppe vem passando por várias etapas de estudos necessários para a comprovação de sua eficiência em promover uma adequada ventilação pulmonar invasiva. Havia a necessidade que, antes do equipamento ser avaliado em pessoas, ele passasse por testes em animais”, explica o professor Fabio Scott.

Estes testes aconteceram no Laboratório de Quimioterapia Experimental em Parasitologia Veterinária, do Departamento de Parasitologia Animal do Instituto de Veterinária (IV/UFRRJ), que atuou em conjunto com o Hospital Veterinário da instituição. Professores e estudantes do Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias (PPGCV/UFRRJ) também colaboraram para realização do estudo. Os procedimentos executados foram previamente aprovados pela Comissão de Ética no Uso de Animais do IV/UFRRJ, protocolados sob o número 4508130520, ID 001698, na reunião de 14 de maio de 2020.

Com o estudo foi possível a realização de vários ensaios protocolares e verificações de ajustes para a otimização do funcionamento do VExCo. “Foram usados suínos, pois estes, para este tipo de experimentação, apresentam respostas biológicas e tem algumas características anatômicas semelhantes às dos humanos”, esclarece Scott.

Os testes já foram finalizados e estão na fase de avaliação dos resultados que, de acordo com o docente, são promissores. Todos os animais se recuperaram logo após o fim do processo de ventilação mecanizada. A próxima etapa será submeter todos os dados acumulados ao longo do desenvolvimento do projeto à avaliação por órgão responsável por aprovar pesquisas em seres humanos.

Laboratório de Quimioterapia Experimental em Parasitologia Veterinária da UFRRJ | Imagem: Divulgação LQEPV

Para estabelecer a parceria de sucesso da UFRRJ com a Coppe/UFRJ, tanto a Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica da UFRRJ (Fapur), quanto a Fundação Coppetec, tiveram atuação decisiva. As fundações de apoio colaboram na execução de projetos de pesquisa, ensino e extensão universitária e no desenvolvimento institucional, científico e tecnológico.

“Há anos a Fapur gerencia os projetos coordenados pelo professor Fabio Scott, realiza as aquisições necessárias a toda a pesquisa, paga com recursos do projeto os funcionários contratados, e tenta fazer as aquisições de equipamentos e material de consumo com a maior brevidade possível. Nesta etapa, a Fundação adquiriu o material necessário e ofereceu o suporte de contratação de serviços e compras de que o projeto precisou”, explica Clarissa Oliveira da Silva, vice-presidente da Fapur.

Mesmo com as restrições impostas pelo isolamento social decorrente da pandemia de Covid-19, o estudo ocorreu com as melhores condições experimentais. Scott aproveitou para agradecer o comprometimento dos envolvidos, o apoio da direção do Instituto de Veterinária e, também, a confiança dos pesquisadores da Coppe/UFRJ. “Desejo muito sucesso nas próximas etapas do projeto. Viva a balbúrdia da universidade!”, concluiu.

Participaram do estudo na UFRRJ Fabio Barbour Scott, professor associado e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias (LQEPV/Fapur); Bruno de Toledo Gomes, técnico-administrativo e discente do PPGCV; Felipe Delorme Azevedo, médico veterinário diretor do Hospital Veterinário; Bruno Ferreira Spíndola, médico veterinário do Hospital Veterinário; Bruno Gonçalves de Souza, médico veterinário; Cristiano Chaves Pessoa da Veiga, médico veterinário do Hospital Veterinário; Gilberto de Araujo Costa, médico veterinário anestesista autônomo; Diefrey Ribeiro Campos, pós-doutorando do PPGCV; Barbara Rauta de Avelar, pós-doutorando do PPGCV; Andressa Aparecida de Lima Reis, doutoranda do PPGCV; e Debora Azevedo Borges, doutoranda do PPGCV.

Para conhecer mais sobre o VExCo, clique aqui.

É possível apoiar a produção do ventilador de exceção para Covid-19 por meio de doações à campanha realizada pela Fundação Coppetec. Clique aqui para saber como doar.

 

Por Michelle Carneiro, CCS/UFRRJ.


Postado em 28/05/2020 - 09:46
Skip to content